A Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro lamenta o falecimento do Professor Hésio de Albuquerque Cordeiro, figura excepcional na Saúde do Rio de Janeiro.

Nascido em Juiz de Fora, em 21 de maio de 1942, formou-se em Medicina na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro em 1965. Após um breve tempo como clínico, Hésio busca especialização em Saúde Coletiva nos Estados Unidos. Retornando ao Brasil, une-se a Américo Piquet Carneiro, Moysés Sklô e outros na criação do Instituto de Medicina Social (IMS) da UERJ. O novo instituto junta-se à Escola Nacional de Saúde Pública (ENS) e ao grupo da UNICAMP (liderado por Sérgio Arouca) na renovação do pensamento em Medicina Social no Brasil, estabelecendo as bases da Reforma Sanitária no país.

Sempre exercendo sua atividade no IMS, como professor de Medicina Preventiva e Social, ao fim do regime militar Hésio foi um dos principais idealizadores do SUS, através de seu interesse nos campos e áreas temáticas de política e instituições de saúde, assistência médica no âmbito da previdência social, política de medicamentos e tecnologia médica. Com a redemocratização, integrou a equipe de planejamento do governo do então candidato Tancredo Neves.

Com a morte do presidente-eleito, e a posse do presidente José Sarney, Hésio assumiu a presidência do Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (INAMPS), com a missão autodesignada de extinguir a autarquia, e implantar o SUS. Organizou uma equipe de alta competência, com nomes como José Carvalho de Noronha (depois Secretário de Saúde do Estado do Rio de Janeiro), José Gomes Temporão (posteriormente Ministro da Saúde), Eduardo (Dadá) Levcovitz, Paulo Henrique e outros que, depois, atuaram na gestão do Ministro Adib Janete, na transferência do INAMPS para o Ministério da Saúde e sua posterior extinção, com a criação do SUS.

Hésio foi Reitor da UERJ. Foi consultor do Ministério da Saúde, da Organização Pan Americana da Saúde e da Organização Mundial da Saúde. Foi presidente do Conselho Nacional de Educação, presidente da ABRASCO, conferencista no Brasil e no exterior – notadamente na América Latina. Foi Diretor de Gestão da Agência Nacional de Saúde Suplementar e Diretor de Saúde da Fundação CESGRANRIO. Foi Pesquisador Honorário da FIOCRUZ, e Professor Honorário da ENSP, entre outros títulos e honrarias muito numerosos para menção aqui.

Em seus quase 135 anos de acompanhamento e participação nas lides da Saúde Pública no Brasil e no Rio de Janeiro, a Sociedade de Medicina e Cirurgia viu poucas figuras de tamanha envergadura na área de Saúde Pública em nosso país.

Pessoalmente, seu Presidente relembra e reverencia o apoio dado por Hésio às políticas de saúde contra a Aids, nos difíceis e inseguros primórdios do Programa Nacional de combate àquela doença, no Ministério da Saúde, na segunda metade da década de oitenta passada.

 

CELSO FERREIRA RAMOS FILHO

Presidente,

Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro